Qual a diferença entre Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo?

Inbound e Content Marketing

Conheça novas maneiras de pensar o marketing, utilizando estratégias  de relacionamento para gerar mais engajamento e conversão em suas campanhas.

O crescimento do chamado “ambiente digital” ampliou o campo de visibilidade e alcance de audiência, tanto para organizações quanto para pessoas de maneira geral. Estimulou o surgimento de novos modelos de negócios, a criação de projetos pessoais e coletivos, inclusive de novas mídias para difusão de informações.  Mas também aumentou a disputa por espaço e preferência na mente do público, tornando nossos cenários cada vez mais competitivos.

Esse aumento exponencial no número de dados e informações disponíveis na internet tem demandado a produção de conteúdo mais personalizado e direcionado,  em busca de públicos bastante específicos, de segmento ou de nicho, abordagem que tem resultado em maior assertividade no processo de atração e relacionamento com leads (pessoas interessadas em seu conteúdo, produto ou serviço).

É nesse contexto que entram em jogo os conceitos de inbound marketing e marketing de conteúdo, para nos ajudar a compreendermos melhor as etapas da jornada de compra do cliente, para criarmos relevância e autoridade nas informações que distribuímos e para aprimorarmos nossas relações com o público, sejam quais forem os nossos objetivos pessoais ou profissionais.

Marketing de Conteúdo é estratégia


O conceito de Marketing de Conteúdo (Content Marketing) é conhecido desde 2001, e foi criado por Joe Pulizzi, fundador do Content Marketing Institute e autor de vários livros sobre o assunto, incluindo “Epic Content Marketing”. Essa abordagem de marketing se diferencia das demais por trazer a produção de conteúdo como uma estratégia para fugir da tradicional comunicação de vendas, onde a proposta é “empurrar” o produto ou serviço para o cliente e falar apenas de suas vantagens, benefícios e características técnicas.

O Marketing de Conteúdo tem como objetivo gerar percepções positivas na mente do público a respeito de uma marca. O que é possível quando a produção de conteúdo é utilizada como estratégia para educar, entreter, conscientizar e indicar soluções às pessoas. O Marketing de Conteúdo pode ser também uma boa alternativa para trabalhar o posicionamento da marca, seja por meio de áudios, vídeos, fotos ou textos, reforçando características que formam sua identidade. Todos esses pontos ajudam a melhorar a percepção de imagem e reputação da marca. Ou seja, com essa estratégia, a venda ou uso de um serviço se torna uma consequência da relevância gerada pelo conteúdo produzido pela marca.

Por exemplo: 

Uma empresa de eventos especializada na organização de casamentos pode criar uma revista para noivas, com conteúdo relacionado a esse assunto. O público-alvo da revista será o mesmo da empresa, e este processo facilitará o contato das noivas com a marca, desenvolvendo uma relação entre elas, com o objetivo de que essas noivas se tornem clientes da empresa no futuro.

Inbound Marketing é método


Inbound Marketing é um método constituído por três etapas (atração, envolvimento e encantamento) que tem como função tornar a oferta de produtos e serviços mais amigável ao consumidor. O conceito foi criado em 2009 por Brian Halligan e Dharmesh Shah, fundadores da Hubspot e autores do livro “Inbound Marketing: Seja Encontrado usando o Google, a Mídia Social e os Blogs”. Dentre as ferramentas de atração sugeridas por eles estão o uso de anúncios, vídeos, blogs, mídias sociais e estratégias de conteúdo. Para envolvimento da marca com o consumidor, o método sugere o uso ferramentas como configuração de fluxos de leads, e-mail marketing, gestão de leads, bots de conversa e automação de marketing. Para encantamento, surgem conteúdos mais aprofundados, reforço de informações através de e-mail marketing, automação de vendas, notificações e relacionamento pós-venda.

O Marketing de Conteúdo é bastante utilizado no Inbound Marketing como meio de agregar valor ao produto/serviço e  construção de imagem da marca. Também para tornar o atendimento comercial mais específico e menos trabalhoso, nutrindo um relacionamento desde o primeiro ponto de contato com o interessado.

Imagine este exemplo: 

Uma pessoa pesquisa na internet sobre “como emagrecer rápido?”. Entre os resultados, surge um artigo intitulado “27 dicas de como perder peso sem sair de casa”. A pessoa clica sobre o enunciado e consome aquele conteúdo, que está publicado no site de um produto, tem conteúdo relevante, com um bom embasamento e realmente dá dicas práticas sobre emagrecimento, ao final a página um campo: “Se gostou deste artigo, deixe seu e-mail e receba mais como este.” Assim que aquele visitante deixa o e-mail, passa a receber emails que irão mantê-lo informado com conteúdo da marca, assim terá mais informações sobre o assunto e estará aberto para no final, comprar as soluções oferecidas pelo produto.

O que o Inbound faz é trazer para o site da marca, ou para uma página de captura de cadastros (landing page), pessoas que estejam buscando determinado conteúdo ou solução. Não necessariamente o produto ou serviço em si. Pessoas que, talvez, estejam buscando algo por simples curiosidade, mas que, ao decorrer do processo, descobrirão por meio do conteúdo acessado que precisam da solução que a marca oferece. Dessa maneira, cria-se vínculos, que poderão resultar na conversão do interessado em um cliente.

Conclusão


Por fim, podemos concluir que Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo são conceitos contemporâneos e complementares. A incorporação de ambos em uma estratégia maior de negócios pode trazer um impacto bastante significativo para marcas que buscam a diferenciação por meio de conteúdo para seus consumidores.


Escrito por Marcos Huan Caldeira e Carlos Müller